Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2018

A ESTÚPIDA VAIA DOS FASCISTAS BRASILEIROS A ROGER WATERS

Por Alexandre Figueiredo

O baixista e cantor Roger Waters, a recente apresentação no Allianz Parque, em São Paulo, na noite da última terça-feira, 09 de outubro de 2018 - curiosamente, aniversário de John Lennon, cuja banda, Beatles, teria se encontrado talvez com a banda de Roger, Pink Floyd, no Abbey Road, pois ambos os grupos gravaram álbuns em 1967 - , se destacou bravamente.

Waters, com sua longa história, estava tocando seu repertório solo e também com clássicos do Pink Floyd dentro da turnê US + Them, quando, durante a música "Eclipse", exibiu no telão uma lista de políticos que representam o neofascismo no mundo.

O músico inglês foi ao mesmo tempo vaiado e aplaudido depois que a lista mostrou o sobrenome Bolsonaro como o representante brasileiro do neofascismo. Quem não gostou dessa menção foram, evidentemente, os bolsonaristas, que pelo jeito tiveram uma semana bem movimentada, matando músico capoeirista na Bahia, marcando suástica no abdome de uma moça em Porto Al…

JAIR BOLSONARO REFLETE IMATURIDADE DA GERAÇÃO DE 1950-1960

Por Alexandre Figueiredo

Quem nasceu nos anos 1950 e 1960 e tem filhos nascidos do final da década de 1980 ao decorrer da década de 1990 revela sua grande imaturidade. Pessoas que chegam aos 50 anos ou estão à beira dos 60 anos são tomados por teimosias adolescentes, que os impelem, numa faixa etária que antes era associada à maturidade e ao bom senso, a atitudes e posturas precipitadas e impulsivas.

É uma geração que, pelo menos nos EUA e no Brasil, não pôde exercer seu idealismo durante a juventude, pois eram recomendados, tanto pela família quanto pelas regras sociais vigentes em toda a década de 1970 (com reflexos na seguinte), a pensar somente no sucesso profissional e na formação da família.

Poucas e honradas exceções escapam disso. Geralmente se pode dizer que, entre pessoas que optaram pela cultura hippie ou pela militância juvenil tendem a chegar melhor aos 50 anos do que aquelas que se limitam a ser empresárias ou profissionais liberais.

E isso apesar de, quando chegou aos …

CHARLES AZNAVOUR, MORTO AOS 94 ANOS, FOI UM FENÔMENO DE SUCESSO ATEMPORAL

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Fico imaginando os granfinos brasileiros de cerca de 65 anos que diziam gostar de Charles Aznavour ficando pasmos ao saber que o cantor francês, falecido hoje aos 94 anos, quando estava fazendo suas turnês de despedida e pretendia se aposentar, era mais moderno do que se pensa.

Pessoalmente, avalio que, se ele foi algo próximo ao de uma resposta francesa ao Frank Sinatra, o vejo como um artista peculiar, dentro da tradição musical francesa. Se bem que, em aparência, Charles Aznavour lembrava, em aparência, algum possível tio do cantor inglês Morrissey.

Aznavour era um dos grandes nomes da música francesa, embora seu talento causasse bastante polêmica entre os críticos. Em todo caso, seu estilo romântico e suas letras de diversos temas, incluindo a boemia, marcaram sua carreira bastante produtiva e cheia de canções conhecidas, como "La Bohème", "She" e "Les Plaisirs Demodés" (mundialmente conhecida na versão "Dance the Old Fa…