ROCK PERDE BOBBY VEE, ÍCONE DA VIRADA 1950-1960


A boa aparência e os temas predominantemente românticos, à primeira vista, poderiam fazer roqueiros mais radicais torcerem o nariz, mas a verdade é que não deixa de ser triste a perda do cantor Bobby Vee, popularizado pela canção "Take Good Care of My Baby", de 1961, composta por Carole King e Gerry Goffin.

Vee era bem diferente dos canastrões que faziam o chamado "rock comportado" daqueles tempos. A turma de Vee eram os roqueiros que se esforçaram para renovar o cenário musical estadunidense do final da década de 1950, uma cena que foi comprometida por quatro tragédias.

Em fevereiro de 1959, a carreira de Bobby Vee estava no começo, com ele ainda adolescente. num festival musical Winter Dance Party, uma excursão que passou por vários Estados dos EUA, como Wisconsin, Iowa, Illinois e Ohio, com várias atrações: Waylon Jennings, Dion & The Belmonts, Buddy Holly, J. P. Richardson (Big Bopper), Frankie Sardo, Tommy Alstrup, Carl Bunch e Richie Valens.

Bobby Vee era acompanhado por uma banda chamada The Shadows, que não pode ser confundida com a popular banda britânica que, do outro lado do Atlântico, agitava o cenário roqueiro anterior à beatlemania.

A excursão foi abalada por uma tragédia. Um avião levaria alguns músicos para Minesota, onde seriam realizadas apresentações. Waylon Jennings, Tommy Alstrup e Dion Di Mucci (vocalista dos Belmonts) seriam os passageiros, mas circunstâncias fizeram com que eles decidissem sair e dar lugar a Buddy Holly, que estava cansado de viajar de ônibus, Richardson e Richie Valens. Um acidente aéreo tirou a vida de Holly, Richardson e Valens, interrompendo suas promissoras carreiras.

Mais tarde, em 1963, Vee se reuniu com os integrantes dos Crickets, banda que acompanhava Buddy Holly no começo da carreira, para gravar um álbum tributo, I Remember Buddy Holly, dois anos depois de fazer grande sucesso com "Take Good Care of My Baby", que fez muito sucesso também nas rádios brasileiras, sobretudo a Rádio Tamoio do Rio de Janeiro, uma espécie de "ancestral" da Antena Um.

Embora não tivesse sido um artista revolucionário, Bobby Vee tinha um notável talento e um carisma suficiente para deixar sua marca na história da música. Sua carreira esteve ativa por 42 anos, entre 1959 e 2011, ano em que foi diagnosticado com o mal de Alzheimer, que o matou hoje, aos 73 anos de idade.

Vee era também compositor, e além de cantor tocava guitarra e piano. Curiosamente, ainda no começo de carreira havia excursionado com um musico sob o pseudônimo de Elston Gunnn, que é ninguém menos que Bob Dylan, que revelou depois ter sido amigo de Vee.

Bobby Vee havia se enviuvado em 2015, quando sua esposa, Karen Bergen, com quem estava casado desde 1963, faleceu. Ele deixou quatro filhos, todos também músicos que tocaram com o pai nos últimos anos.

Comentários