Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

A FÁBRICA DE CHOCOLATES E A METÁFORA DA COMPETIÇÃO HUMANA

Por Alexandre Figueiredo

O filme A Fantástica Fábrica de Chocolate (Willy Wonka and the Chocolate Factory), de 1971, tem 45 anos de existência quando seu protagonista, o ator e diretor Gene Wilder, faleceu aos 83 anos depois de muito tempo doente do mal de Alzheimer.

Wilder, também conhecido por atuar e dirigir o filme A Dama de Vermelho (The Woman in Red), de 1984 - poucos anos antes do outro "Willy Wonka" (de 2005), o ator Johnny Depp, fazer sua estreia no seriado Anjos da Lei (21 Jump Street) em 1987 - , também atuou em vários filmes de Mel Brooks e em comédias ao lado do já falecido Richard Pryor.

Mas foi o personagem Willy Wonka o papel mais marcante e mais instigante, como o do filme correspondente. A curiosidade é que, apesar de ser um filme infantil, A Fantástica Fábrica de Chocolate traz um enredo de análise bastante complexa, que daria excelentes teses de mestrado com toda sua análise semiológica.

Aparentemente, o filme é uma gincana e uma apresentação de um "…

A RENÚNCIA DE JÂNIO QUADROS E A CRISE DO GOVERNO MICHEL TEMER

A MESÓCLISE OS UNE.

Por Alexandre Figueiredo

comparamos os governos de Michel Temer e Jânio Quadros. Há muito o que comparar os dois períodos, que envolvem crises políticas e os mesmos conflitos ideológicos de esquerda e direita, sobretudo num dia como hoje, em que a repentina renúncia de Jânio completa 55 anos.

Foi uma surpresa em plena manhã. É certo que o governo de Jânio estava em crise, e o governador da Guanabara, Carlos Lacerda, que apoiava Jânio desde quando este, governador de São Paulo, participou do golpe contra a posse de Juscelino Kubitschek, em novembro de 1955, não cansava de denunciar na televisão que se sentiu traído pelo então presidente.

Até a mesóclise é um ponto comum entre Michel Temer e Jânio Quadros. A ideia de dizer pomposas formas verbais como "far-lhe-á", "dar-lhe-ei" etc é algo que fez Jânio ser conhecido pelo anedotário popular pela expressão "fi-lo porque qui-lo", desmentida pelo próprio ex-presidente que afirmou ter dito …

MORRE EM SÃO PAULO O APRESENTADOR GOULART DE ANDRADE

ANÚNCIO DO PROGRAMA AH..LEGRIA KOLYNOS, DA TV TUPI CARIOCA, EM 1963.

Uma das grandes figuras da TV brasileira nos deixou. O apresentador Goulart de Andrade, conhecido pelo programa Comando da Madrugada, no qual soltava o simpático bordão "Vem Comigo", faleceu de insuficiência respiratória, aos 83 anos de idade.

Casado com Margareth Bianchini nos últimos 13 anos, Luís Filipe Goulart de Andrade deixou três filhos, três netos e uma bisneta. Era jornalista e um brilhante comunicador de televisão, com 61 anos de carreira na qual incluiu também sua experiência como produtor e diretor de programas de TV, como o Brasil 63, com a atriz Bibi Ferreira, na TV Excelsior.

Ele foi filho da cantora Elisinha Coelho, a primeira a gravar, em 1932, a música "No Rancho Fundo", de Ary Barroso e Lamartine Babo, e de Flávio Goulart de Andrade, antigo diretor do Senado Federal. De família alagoana, Luís Filipe era sobrinho-neto do escritor e dramaturgo José Maria Goulart de Andrade e neto …

SEM ELKE MARAVILHA, FICAMOS TODOS MAIS CARETAS...

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Marcada por sua impressionante jovialidade e um espírito moderno sem ser vulgar, Elke Maravilha nos deixou hoje, com 71 anos, depois de ter marcado sua história como uma das mais carismáticas celebridades brasileiras, tendo sido modelo e atriz.

Ela não nasceu no Brasil, mas personificou bem o estado de espírito brasileiro, simbolizando um Rio de Janeiro que se perdeu, tão ensolarado era o astral de Elke, cuja mais famosa experiência foi como jurada do apresentador Abelardo Barbosa, o Chacrinha, com o qual interagia com perfeita cumplicidade. Elke deixa saudades, pelo seu jeito divertido e por sua índole que inspirava esperança e alegria.

Sem Elke Maravilha ficamos todos mais caretas, sem brilho, sem cor

Por Miguel Arcanjo Prado - UOL

Como acreditar que Elke Maravilha morreu nesta terça (16) aos 71 anos? Como pode ter fim aquela alegria de viver, aquela mulher tão cheia de verdade, que sempre lutou pela liberdade de pensamento e de poder ser do jeito que cada um …

O BRASIL DE 1965 E O DE HOJE

A NOVELA O DIREITO DE NASCER, DA TV TUPI, FOI UM DOS MAIORES RECORDES DE AUDIÊNCIA EM 1964 E 1965.

Por Alexandre Figueiredo

O clima de desânimo em relação ao governo de Michel Temer lembra um pouco o astral melancólico do Brasil de 1965, quando a ditadura militar estava aparentemente hesitante, mas depois se consolidou. Hoje, há expectativas do governo Temer se consolidar, o que não parece bom, criando mais um clima de apreensão entre os brasileiros.

Depois do relativo ânimo das forças oposicionistas diante da derrubada do governo João Goulart, em abril de 1964, o chamado "governo revolucionário" já parecia não querer sair do poder em 1965. Era um clima de expectativa que se sentiu no começo de 1965, embora meio arranhado com a cassação política de um dos possíveis candidatos, o ex-presidente Juscelino Kubitschek.

Kubitschek, que trocou Minas Gerais por Goiás, ao se tornar senador em 1963, havia defendido a derrubada do seu ex-vice, Jango, por estar incomodado com o radicali…