MORRE CINEASTA FRANCÊS ALAIN RESNAIS, DE HIROSHIMA MEU AMOR


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: No ano em que seu filme de maior sucesso, Hiroshima Meu Amor (Hiroshima Mon Amour), morre o cineasta da nouvelle vague Alain Resnais, que até pouco tempo atrás esteve em atividade. E, infelizmente, é mais um mestre que perdemos em qualquer modalidade artística, em tempos que a cultura anda sendo refém da mediocridade hegemônica.

Morre cineasta francês Alain Resnais, de Hiroshima Meu Amor

Do Portal Terra - Com informações da Agência France Press

O cineasta francês Alain Resnais, diretor de Hiroshima Meu Amor (1959),  morreu na noite deste sábado (1) em Paris, “cercado pela família”, anunciou Jean-Louis Livi, produtor de seus últimos filmes. 

Alain Resnais tinha 91 anos e foi homenageado na 64ª edição do Festival de Berlim, em fevereiro, onde estreou o seu trabalho mais recente, Amar, Beber e Cantar. No evento, a obra de Alain ganhou o Alfred Bauer, prêmio concedido para inovação artística

"Ele estava preparando comigo um outro filme, do qual ele também era roteirista", declara Livi, que produziu os três últimos títulos de Resnais.

Entre as obras do cineasta francês estão Noite e Neblina (1955), Ano Passado em Marienbad (1961),  A Guerra Acabou (1966), Longe do Vietnã (1967), Medos Privados em Lugares Públicos (2006) e Vocês Ainda Não Viram Nada (2012), que concorreu à Palma de Ouro no Festival de Cannes 2012.

O ministro francês das Relações Exteriores, Laurent Fabius, lamentou a morte do cineasta e saudou "um grande, grande talento, conhecido mundialmente".

Ao longo da carreira, Alain ganhou cinco prêmios César (três de melhor filme, dois de melhor diretor), dois Ursos de Prata em Berlim, três prêmios no Festival de Veneza, um BAFTA e um prêmio especial do júri em Cannes, entre outros.

Comentários