segunda-feira, 29 de abril de 2013

COMPOSITOR DE "VOLTA POR CIMA", PAULO VANZOLINI MORRE AOS 89 ANOS EM SP


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: É irônico que, numa época em que as ciências sociais estão se submetendo à propaganda em defesa da imbecilização cultural do Brasil, um verdadeiro cientista que foi também um verdadeiro compositor de música brasileira, faleceu depois de um bom tempo doente. Infelizmente, a MPB, sem renovação, está morrendo aos poucos, através da perda de seus grandes artistas.


Espera-se que, no futuro, a MPB tenha uma verdadeira volta por cima, quando romper com a breguice dominante e seguir de fato as lições de grandes mestres como Paulo Vanzolini.

Compositor de 'Volta Por Cima', Paulo Vanzolini morre aos 89 anos em SP

Do Portal Terra

O compositor e zoólogo Paulo Vanzolini, 89 anos, morreu às 23h35 deste domingo (28), no Hospital Albert Einsetin, na zona sul de São Paulo. Com pneumonia, Vanzolini estava internado desde quinta-feira (25) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do local.

Velório e enterro serão realizados nesta segunda-feira (29), respectivamente no próprio hospital e no Cemitério da Consolação, e serão fechados para a família e amigos.

Na música, entre seus trabalhos mais conhecidos estão Ronda, Volta por Cima e Na Boca da Noite. Autor renomado, teve canções interpretadas por Miúcha, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Martinho da Vila e Inezita Barroso.

Foi um dos idealizadores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e ativo colaborador do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo. Pelas trabalho realizado como cientista, Vanzolini foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico. Em agosto de 2008, foi também premiado pela Fundação Guggenheim, em Nova York, em virtude de suas contribuições para o progresso da ciência.

Paulo Vanzolini filmou três documentários com o diretor Ricardo Dias. Os dois primeiros sobre o seu trabalho como zoólogo e o terceiro sobre sua obra musical.

Discografia
1967 - Onze Sambas e uma Capoeira (vários intérpretes)
1974 - A Música de Paulo Vanzolini
1981 - Por Ele Mesmo
2003 - Acerto de Contas

segunda-feira, 22 de abril de 2013

MORRE AOS 72 ANOS RICHIE HAVENS, LENDÁRIO MÚSICO DE FOLK


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: A geração que viveu os anos da psicodelia já está morrendo, numa época de crise cultural que se vive hoje. Foi a vez de Richie Havens, grande figura do folk e um dos nomes de destaque de Woodstock original de 1969, falecer aos 72 anos, depois de um ataque cardíaco. Ele havia se aposentado por estar muito doente, no ano passado.

Morre aos 72 anos Richie Havens, lendário músico de folk

Do Portal Terra

Morreu nos EUA, aos 72 anos, o cantor e compositor Richie Havens, uma das grandes vozes da história da folk music. Ele foi a óbito após sofrer um ataque cardíaco. A informação foi dilvulgada por sua família em comunicado, nesta segunda-feira (22).

Nascido no Brooklin no dia 21 de janeiro de 1941, Havens ficou conhecido por suas versões para canções de sucessos do folk e do pop, como Just Like a Woman, de Bob Dylan, e Eleanor Rigby, dos Beatles, ambas gravadas no disco Mixed Bags, seu primeiro trabalho como cliente do então empresário de Dylan, Albert Grossman, lançado em 1967.

Em 1969, viu sua carreira engrenar de vez ao ser o primeiro artista a se apresentar no festival Woodstock, quando executou um repertório de quase três horas baseado em canções sobre fraternidade e liberdade individual. Entre elas estava Freedom, um de seus maiores sucessos - versão para Sometimes I Feel Like a Motherless Child, originalmente uma música sobre o sofrimento dos escravos nos EUA , datada de 1870.

A temática da liberdade individual, de fato, embasou todas as suas mais quatro décadas de carreira, iniciada em 1965. Com mais de 20 discos lançados - sem contar os registros ao vivo, seu forte, e as compilações -, Havens se dizia um comunicador, não um cantor. "Canto músicas que mexem comigo", disse certa vez em entrevista o músico, co-fundador do Northwind Undersea Institute, museu oceanográfico voltado para crianças, para quem dedicou grande energia a fim de conscientizá-las sobre a preservação da natureza.

O sentimento também o levou a criar a organização The Natural Guard, descrita por ele como "uma forma de ajudar as crianças a aprender que podem colocar a mão na massa em questões que afetam o meio ambiente". "Crianças podem estudar a terra, a água e o ar de suas comunidades e ver como podem fazer mudanças positivas com algo simples como plantar um jardim em um terreno abandonado", afirmava.

No auge de sua carreira na música, entre as décadas de 1960 e 1970, figurou em dez ocasiões na disputada parada de sucessos da Billboard, principal termômetro da indústria fonográfica norte-americana. Fez parcerias com grandes nomes da música como Peter Gabriel, Walter Parks e, mais recentemente, com o duo de eletrônico Groove Armada.

Ao longo de seus quarenta anos de estrada não parou de fazer discos e turnês, misturando ao folk gêneros como rock, blues, jazz, funk e até música country. Em 1993, se apresentou na cerimônia de posse do presidente Bill Clinton.

Herói da música de protesto - Handsome Johnny, No Opportunity Necessary..., Stop Pulling and Pushing Me -, Havens anunciou sua aposentadoria da música no ano passado, creditando a decisão a problemas de saúde.

Apesar da condição, o músico, sempre positivo em relação à vida e às pessoas, disse à revista Billboard apenas um ano antes sobre sua longa carreira: "tudo aquilo que desejei aconteceu. Nunca tive um dia ruim no palco e não acho que algum dia eu vá parar de tocar. Ao menos enquanto estiver vivo".

segunda-feira, 15 de abril de 2013

CLEYDE YÁCONIS MORRE EM SÃO PAULO

 

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Cleyde Yáconis foi uma das grandes atrizes da fase sofisticada do teatro brasileiro, a partir das inovações do Teatro Brasileiro de Comédia. Irmã de Cacilda Becker, "rivalizava" com seu talento. Cacilda faleceu há 44 anos, mas Cleyde viveu e continuou ativa até a doença não permitir mais. E hoje ela faleceu, ficando para a história e deixando suas obras como importante legado.

Uma informação pouco conhecida sobre ela é que a atriz apresentou, ao lado do também ator Leonardo Villar, na TV Record, em 1960, o programa Show a Dois, de variedades.

Cleyde Yáconis morre em São Paulo

Atriz estava internada no hospital Sírio-Libanês

Por Elba Kriss - Portal R7


Cleyde Yáconis morreu nesta segunda-feira (15) em São Paulo. A atriz, de 89 anos, estava internada no hospital Sírio-Libanês.

Ao R7, Fernando Cardoso, empresário da atriz, confirmou a morte de Yáconis no fim da tarde. Tanto ele quanto a família se encontram no hospital, onde recebem o apoio de amigos próximos.

Ainda não há informações sobre o velório. Segundo o empresário, as informações serão divulgadas pelo próprio hospital.

Em março, a atriz já estava internada, mas os familiares não informaram a causa ou a data exata da internação. Boletins médicos também foram proibidos.

Em julho de 2010, Cleyde sofreu uma queda e fraturou o fêmur. Seu último trabalho na televisão foi na novela Passione (Globo). Na trama, ela vivia Brígida, senhora divertida casada com Antero, personagem de Leonardo Villar.

A atriz se apresentou no espetáculo Elas Não Gostam de Apanhar, em São Paulo, em julho de 2012. Leu textos de Nelson Rodrigues ao lado de Denise Fraga e foi ovacionada. No palco, recebeu flores e aplausos da plateia.

Cleyde Becker Laconis, mais conhecida como Cleyde Yáconis, nasceu em 14 de novembro de 1926 na cidade de Pirassununga (SP). Em 1950, foi estudar medicina, mas desistiu para fundar o Teatro Cacilda Becker com a irmã Cacilda Becker e seu marido Walmor Chagas, se dedicando a arte da representação.

Sua estréia no cinema foi em 1952 no filme Veneno de Vera Cruz. A atriz também teve destaque em Na Senda do Crime (1968) e Dora Doralina (1982).

Em 1966, a atriz entrou para a teledramaturgia na novela com Mulheres de Areia (1973) e depois participou de Os Inocentes (1974), Gaivotas (1979 e Rainha da Sucata (1990).

Cleyde Yáconis era dona de um dos repertórios teatrais mais variados e com mais de noventa espetáculos teatrais em seu curriculo.

Na televisão

2012 - Passione - Brígida Gouveia

2007 - Eterna Magia - Dona Chiquinha (Francisca Finnegan)

2006 - Cidadão Brasileiro - Dona Joana Salles Jordão (Rede Record)

2004 - Um Só Coração - como ela mesma (participação)

2001 - As Filhas da Mãe - Dona Gorgo Gutierrez

1998 - Torre de Babel - Diolinda Falcão

1997 - Os Ossos do Barão - Melica Parente de Redon Pompeo e Taques (SBT)

1993 - Olho no Olho - D. Julieta

1993 - Sex Appeal - Cecília

1991 - Vamp - D. Virginia

1990 - Rainha da Sucata - Isabelle de Bresson

1985 - Uma Esperança no Ar (SBT)

1984 - Meus Filhos, Minha Vida - Adelaide (SBT)

1982 - Campeão - Helena (Rede Bandeirantes)

1982 - Ninho da Serpente - Guilhermina Taques Penteado (Rede Bandeirantes)

1981 - O fiel e a pedra (TV Cultura)

1981 - O vento do mar aberto - Clara (TV Cultura)

1981 - Floradas na Serra - Dona Matilde (TV Cultura)

1980 - Um homem muito especial - Marta (Rede Bandeirantes)

1979 - Gaivotas - Lídia (TV Tupi)

1978 - Aritana - Elza (TV Tupi)

1976 - O Julgamento - Mercedes (TV Tupi)

1976 - Um Dia, o Amor - Maria Eunice (TV Tupi)

1975 - Ovelha Negra - Laura (TV Tupi)

1974 - Os Inocentes - Juliana (TV Tupi)

1973 - Mulheres de Areia - Clarita Assunção (TV Tupi)

1970 - Mais Forte que o Ódio - Clô (TV Excelsior)

1969 - Vidas em conflito - Ana (TV Excelsior)

1969 - A menina do veleiro azul (TV Excelsior)

1968 - Os Diabólicos - Paula (TV Excelsior)

1968 - A Muralha - bandeirante (participação) (TV Excelsior)

1967 - Éramos Seis - Dona Lola (TV Tupi)

1966 - O amor tem cara de mulher - Vanessa (TV Tupi)

No cinema

Célia & Rosita (2000) (curta metragem)

Jogo Duro (1985)

Dora Doralina (1982)

Parada 88 - O Limite de Alerta (1977)

Beto Rockfeller (1970)

A Madona de Cedro (1968)

Na Senda do Crime (1954)

No teatro

O Caminho para Meca (2008)

A Louca de Chaillot de Jean Giroudoux (2006)

Cinema Eden de Marguerite Duras (2005)

Longa Jornada Noite A Dentro de Eugene O'Neill (2002)

Péricles, o Príncipe de Tiro de William Shakespeare (1995)

As Filhas de Lúcifer de William Luce (1993)

O Baile de Máscaras de Mauro Rasi (1991) Moliére de Melhor Atriz

A Cerimônia do Adeus de Mauro Rasi (1989)

O Jardim das Cerejeiras de Anton Tchekov (1982)

A Nonna (1980)

Os Amantes de Harold Pinter (1978)

A Capital Federal de Arthur Azevedo (produtora) (1972)

Medéia de Eurípedes (1970)

Édipo Rei de Sófocles (1967)

O Fardão de Bráulio Pedroso (1967)

As Fúrias de Rafael Alberti (1966)

Toda Nudez Será Castigada de Nelson Rodrigues (1965) - Moliére de Melhor Atriz

Vereda da Salvação de Jorge Andrade (1964)

Os Ossos do Barão de Jorge Andrade (1963)

Yerma de Federico García Lorca (1962)

A Morte do Caixeiro Viajante de A rthur Miller (1962)

A Escada de Jorge Andrade (1961)

A Semente de Gianfrancesco Guarnieri (1961)

O Pagador de Promessas de Dias Gomes (1960)

O Santo e a Porca de Ariano Suassuna (1958)

A Rainha e os Rebeldes de Ugo Betti (1957)

Eurydice de Jean Anouilh (1956)

Maria Stuart de Friedrich Schiller (1955)

Leonor de Mendonça de Gonçalves Dias (1954)

Assim É (Se lhe Pareçe) de Luigi Pirandello (1953)

Ralé de Máximo Gorki (1951)

Seis Personagens a Procura de um Autor de Luigi Pirandello (1951)

Pega-Fogo de Jules Renard (1950)

O Anjo de Pedra de Tennessee Williams (1950)

segunda-feira, 8 de abril de 2013

ANNETTE FUNICELLO, ESTRELA DE "TURMA DA PRAIA", MORRE AOS 70 ANOS


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Quase cinco décadas antes do High School Musical, Annette Funicello era, por sua deslumbrante beleza, a musa dos adolescentes naquele começo dos anos 60, naqueles últimos anos em que a Walt Disney Productions tinha vivo o seu fundador. Hoje ela, que sofria de esclerose múltipla, faleceu deixando seus fãs com muitas saudades daqueles tempos de inocência e descontração no cinema.

Annette Funicello, estrela de 'Turma da Praia', morre aos 70 anos

Da Agência France Press

A atriz americana Annette Funicello, que ganhou fama cedo na carreira como membro do "Clube do Mickey" e depois como estrela dos filmes da série "Turma da Praia", faleceu nesta segunda-feira aos 70 anos, anunciou a gigante do entretenimento Disney.

Funicello morreu em decorrência de complicações causadas pela esclerose múltipla, uma doença contra a qual lutou por 25 anos.

Ela foi um dos "Mosqueteiros" originais do programa de variedades "Clube do Mickey" norte-americano nos anos 1950, antes de se tornar uma estrela adolescente com os filmes de "Turma da Praia" nos anos 1960.

Ao lado do ídolo adolescente da época Frankie Avalon, a atriz de cabelos pretos estrelou "A Praia dos Amores" (1963), "Quanto mais Músculos Melhor" (1964), "Praia dos Biquínis" (1964), "Folias na Praia" (1965) e "Como rechear um biquíni" (1965).

"Todo mundo que conheceu Annette a amava e respeitava. Ela era uma das pessoas mais adoráveis que conhecemos e era sempre muito gentil com todos", lamentou Diane Disney Miller, filha de Walt Disney.

"Ela também era uma profissional completa e tinha grande lealdade ao meu pai", acrescentou.

Funicello foi diagnosticada com esclerose múltipla em 1987 e tornou pública sua doença em 1992, ao criar o Fundo de Pesquisa Annette Funicello para Doenças Neurológicas.

Apesar dos problemas de saúde, ela fundou uma empresa fabricante de ursos de pelúcia colecionáveis e lançou sua própria linha de perfumes, antes de se retirar da vida pública no final dos anos 1990.

O presidente da Walt Disney Company afirmou: "Annette foi e sempre será um membro querido da família Disney, um sinônimo da palavra Mosqueteiro e uma verdadeira Lenda Disney.

"Ela sempre terá um lugar no nossos corações como uma das estrelas mais brilhantes de Walt Disney, deleitando toda uma geração de 'baby boomers' (pessoas nascidas no pós-guerra) com sua personalidade alegre e talento sem fim", concluiu.

MORRE "DAMA DE FERRO" NEOLIBERAL MARGARETH THATCHER


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Faleceu uma das mais conservadoras personalidades políticas do mundo, a ex-primeira ministra britânica Margareth Thatcher, que governou no Reino Unido entre 1979 e 1990, atravessando um contexto político que envolveu o declínio da ditadura militar em países como Argentina, Brasil e Chile, e o conservadorismo norte-americano de Ronald Reagan, parceiro de "Meg" na política internacional.

Reino Unido: Morre "dama de ferro" neoliberal Margaret Thatcher

Do Portal Vermelho

Margaret Thatcher, antiga primeira-ministra do Reino Unido, morreu nesta segunda-feira (8), aos 87 anos. Ela liderou o governo britânico pelo Partido Conservador de 1979 a 1990, em plena Guerra Fria, e defendeu arduamente medidas neoliberais em um contexto dominado pela Doutrina Reagan, do ex-presidente dos EUA Donald Reagan, em que foram intensificadas as medidas imperialistas para combater a influência da União Soviética no mundo. 

Uma das principais aliadas do ex-presidente Reagan, Margaret Thatcher ficou conhecida como "dama de ferro" e compôs a chamada "era Thatcher-Reagan", a partir do início dos anos 1980, implementando políticas neoliberais durante o período político-financeiro em que o imperialismo mais se estabeleceu.

Durante a Guerra Fria, Reagan desencadeou o processo armamentista mais virulento, investindo no desenvolvimento de equipamentos bélicos e mísseis como os "cruise", que foram adaptados pelos EUA para transportar ogivas nucleares, em quatro modelos diferentes.

Em sintonia com a Doutrina Reagan, que durou menos de uma década mas que foi a peça central da política internacional da época, o governo de Margaret pronunciou-se contra a União Soviética juntamente com o presidente estadunidense, que fez um discurso no parlamento britânico em 1982.

Outro exemplo da parceria Thatcher-Reagan foi quando, em abril de 1986, os EUA lançaram uma série de ataques aéreos contra a Líbia, desde bases aéreas britânicas, com a permissão de Margaret. Ela afirmou estar apoiando o direito dos EUA de "se autodefender" (assim como o primeiro-ministro britânico Tony Blair faria duas décadas depois, quando o presidente estadunidense George W. Bush resolveu invadir o Iraque).

Antes disso, Margaret empenhou-se em medidas que via como esforços pela "revitalização nacional britânica", e investiu contra a Argentina na neocolonialista Guerra das Malvinas, em 1982, o que lhe garantiu a reeleição no ano seguinte. No plano econômico, logo após a Crise do Petróleo de 1979, ela empenhou-se pela desregulamentação do setor financeiro, na precarização (chamada de "flexibilização") do mercado de trabalho e na privatização de empresas estatais.

Com esta linha de pensamento, desde que foi eleita líder do Partido Conservador, em 1975, as políticas defendidas pelo partido foram enquadradas no denominado "Thatcherismo".

O apelido de "dama de ferro" dado a Margaret também foi resultado do atentado à bomba ao qual sobreviveu em 1984, atribuído a republicanos irlandeses, já que Margaret defendia a soberania do Reino Unido sobre a Irlanda. Além disso, em 1984 também reprimiu com dureza as greves organizadas pelos mineiros britânicos, em um contexto de relevantes conflitos sociais no Reino Unido.

Ao Brasil, a "dama de ferro" chegou a sugerir à ditadura em fase final a venda das empresas estatais e até da Amazônia, para cobrir as dívidas internacionais.

O legado Reagan-Thatcher estabeleceu as bases para o Consenso de Washington, formulado oficialmente em 1989 e assentado nas instituições financeiras de um capitalismo imperialista: o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, em que tecnocratas financeiros dessas instituições ditaram as políticas socioeconômicas de diversos países, especialmente na América Latina, dominada por ditaduras patrocinadas pelos EUA.

Reagan e Thatcher chegaram a ser apelidados pela mídia estadunidense da época de "almas-gêmeas políticas".