sábado, 30 de março de 2013

EX-GOVERNADOR MAURO BORGES MORRE EM GOIÂNIA AOS 93 ANOS


COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Mauro Borges foi o único governador que se juntou a Leonel Brizola para apoiar a mobilização em defesa da legalidade da posse do então vice-presidente João Goulart que, depois da renúncia de Jânio Quadros, seria, de acordo com a Constituição de 1946 então vigente, empossado presidente da República.

Mas os ministros militares de Jânio, Odílio Denys, Sílvio Heck e Grün Moss, não admitiam a posse de Jango e já haviam elaborado um golpe para impedir essa posse, uma amostra do que as Forças Armadas foram capazes de fazer na virada de março para abril de 1964. A mobilização de Brizola e Borges pelo menos conseguiu reverter o golpe naquele agosto de 1961.

GO: ex-governador Mauro Borges morre na capital aos 93 anos

Do Portal Terra

Morreu por volta das 6 horas da manhã desta sexta-feira, em Goiânia, o ex-governador, senador e deputado goiano Mauro Borges. Aos 93 anos, ele estava há 14 dias internado na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Anis Rassi, ligado a aparelhos. Ele deu entrada na unidade no último dia 16, apresentando um quadro de pneumonia grave. O ex-governador também era portador do Mal de Alzheimer.

O velório de Mauro Borges ocorre no salão Dona Gercina do Palácio das Esmeraldas, sede do governo estadual, e, segundo informações da família, o corpo será sepultado às 18h, no cemitério Jardim das Palmeiras. O governador Marconi Perillo (PSDB) decretou luto oficial de sete dias no Estado.

Natural da cidade de Rio Verde, no sudoeste goiano, e filho do fundador de Goiânia, Pedro Ludovico Teixeira, Mauro teve uma carreira marcante e ficou conhecido como um dos políticos de maior visão desenvolvimentista de Goiás. Iniciou a vida pública em 1958, eleito deputado federal pelo Estado goiano. Dois anos depois, em 1960, foi eleito governador, mas foi afastado por intervenção federal após o golpe de 1964, tendo seus direitos políticos cassados em 1966. Em 1979, foi eleito presidente regional do então Movimento Democrático Brasileiro (MDB). Em 1982, senador e, em 1990, outra vez deputado federal, já pelo Partido Democrata Cristão (PDC).

Em 1961, como governador, Mauro Borges, se aliou a Leonel Brizola, governador do Rio Grande do Sul, no Movimento pela Legalidade, que objetivava garantir a posse do vice-presidente João Goulart,  após a renúncia de Jânio Quadros da presidência. Na época, o Palácio das Esmeraldas, sede do governo estadual, se transformou em um importante quartel-general irradiador do movimento dos legalistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.