domingo, 17 de fevereiro de 2013

TONY SHERIDAN, MÚSICO QUE TOCOU COM OS BEATLES, MORRE AOS 72 ANOS


Por Alexandre Figueiredo

O guitarrista e cantor Tony Sheridan, que teve o acompanhamento da primeira formação dos Beatles, faleceu em sua casa em Hamburgo, Alemanha, aos 72 anos de idade. Ele estava em atividade musical até o fim da vida, embora as gerações recentes pouco tenham noção de sua importância.

Afinal, Tony era um dos roqueiros bastante atuantes na fase pré-Beatlemania (1958-1963), posterior à fase do skiffle, ritmo irlandês com caraterísticas semelhantes ao rock'n'roll dos EUA na mesma época, por volta de 1955 a 1958, lançada por Lonnie Donegan, considerado o pai do rock britânico, falecido em 2002.

Nesses tempos pré-Beatlemania, uma das bandas mais populares eram The Shadows. Havia também o cantor Billy Fury e suas baladas românticas e até mesmo o nosso conhecido músico heavy Ritchie Blackmore (Deep Purple) havia integrado uma banda de rock instrumental da época, os Outlaws.

Tony Sheridan tocou em diversas bandas. No começo da carreira, chegou a excursionar com músicos norte-americanos que se apresentavam no Reino Unido, como Gene Vincent e Eddie Cochran (estes dois, por sinal, se envolveriam em um acidente em 1960 no qual Eddie seria morto).

A parceria com a primeira formação dos Beatles - John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Pete Best (na época, Ringo Starr era baterista dos Rory Storm & The Hurricanes) - se deu por sugestão do produtor da Polydor, onde os dois, cantor e grupo, eram contratados, ninguém menos que o maestro de easy listening alemão Bert Kaempfert.

A parceria resultou então em uma série de músicas gravadas que resultaram no álbum Tony Sheridan and The Beatles, de 1961, época em que os Beatles, sem Tony, haviam gravado apenas poucas músicas, incluindo a lendária instrumental "Cry For a Shadow", inicialmente intitulada "Beatle Bop", única canção composta por John Lennon e George Harrison. Sheridan e os Beatles também tocaram juntos ao vivo.

Tony Sheridan and The Beatles, na verdade, foi lançado originalmente na Alemanha com o nome de Tony Sheridan and The Beat Brothers, para evitar um trocadilho com a palavra alemã pidels, referente à conhecida genitália masculina.

Sheridan, no entanto, não se tornou tão famoso quanto a banda que o acompanhou. Durante a guerra do Vietnã, ele chegou a se apresentar para as tropas aliadas dos EUA. Sheridan também chegou a tocar com o músico argentino Charly Garcia. Em 2010, Sheridan veio ao Brasil para se apresentar com sua banda, tendo se apresentado em Vitória, no Espírito Santo.

Tony Sheridan deixou um herdeiro musical, seu filho mais velho Tony Sheridan Jr. que mantém carreira como cantor e guitarrista de rockabilly, vivendo atualmente nos EUA mas se apresentando constantemente em festivais de rockabilly na Grã-Bretanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.