HÁ 50 ANOS, ROBERTO CARLOS SÓ LANÇOU COMPACTOS


Por Alexandre Figueiredo

O cantor Roberto Carlos faz hoje sucesso através de um compacto (embora tenha lançado, este ano, um álbum de sua apresentação ao vivo em Jerusalém), seu primeiro disco de inéditas depois de vários discos ao vivo. Mas, em 1962, o cantor havia também se tornado conhecido apenas por compactos, no caso dois, que inauguraram sua carreira como intérprete e compositor.

Não que ele não havia lançado discos antes. Ele lançou compactos desde 1959, e havia lançado seu primeiro LP, Louco Por Você, em 1961, aparentemente sem relançamento até hoje por razões misteriosas. Digitalizado sem autorização, o disco já circula no comércio pirata e em sítios de gravação na Internet.

A razão provável era de que o disco, que não teve canções de autoria de Roberto, foi feito mais sob a orientação do seu agente, o compositor e produtor Carlos Imperial. Mesmo assim, o disco surpreende pelo frescor artístico que havia feito o cantor um dos ídolos mais populares do país, principalmente quando o ídolo juvenil da época, Sérgio Murilo, abriu uma "brecha" se concentrando na turnê no exterior.

Foram lançados em 1962 dois compactos, o primeiro com a música "Fim de Amor", na verdade versão de um conhecido sucesso do rock de 1961, "Run Around Sue", de Dion & The Belmonts - que as gerações mais recentes só conhecem pela sampleagem do Jive Bunny, com a voz de Dion DiMucci junto a um coro masculino. A música, de Dion com Ernest Mareska, teve versão em português de Beto Ruschel.

No lado B desse compacto, teve a música "Malena", que também não era de autoria do cantor capixaba, mas de Rossini Pinto, depois um dos principais versionistas e compositores da Jovem Guarda, que fez a música junto com Fernando Costa.

O segundo compacto de 1962 é que marca a gravação da lavra autoral de Roberto Carlos. "Susie", da mesma forma que "Esse Cara Sou Eu", é de autoria apenas do cantor, tendo sido a primeira composição dele gravada em disco.

No entanto, a música do Lado B, "Triste e Abandonado", não foi feita por Roberto, mas por Carlos Imperial. No entanto, o disco de 1962 é considerado o marco inicial da carreira do "Rei", preparando o "estouro" em 1963 com Splish Splash (o primeiro LP que incluiu canções de Roberto) e já trilhando seu caminho próprio e sua trajetória de ídolo prestigiado até os dias de hoje.

Comentários