TV TUPI FEZ PRIMEIRA ADAPTAÇÃO DE 'GABRIELA, CRAVO E CANELA'


Por Alexandre Figueiredo

Hoje se encerra a terceira adaptação televisiva do livro de Jorge Amado, Gabriela Cravo e Canela, realizada pela mesma emissora que fez a segunda adaptação, a Rede Globo de Televisão, de 1975, com Sônia Braga no papel título.

A terceira adaptação teve Juliana Paes, uma das musas da atualidade, e, embora seja inevitável a comparação com a adaptação anterior, sobretudo pelo aproveitamento da trilha sonora original, com o mesmo tema "Modinha para Gabriela", de Dorival Caymmi, gravado por Gal Costa em 1975.

Mas houve uma primeira adaptação do famoso livro do escritor baiano, publicado em 1958, feita três anos depois. Trata-se de Gabriela Cravo e Canela, lançada pela TV Tupi em 1961 e que foi uma das primeiras novelas gravadas em videoteipe na televisão brasileira. Infelizmente, as imagens não sobreviveram aos nossos dias.

A novela foi supervisionada pelo próprio Jorge Amado, que naquele ano era consagrado imortal da Academia Brasileira de Letras, onde ficaria por 40 anos e seria depois sucedido na cadeira da ABL por sua viúva Zélia Gattai até a morte desta. Houve uma seleção entre várias candidatas, incluindo várias atrizes em evidência na época, e no entanto a que foi aprovava destoava até mesmo do visual moreno da personagem.

A escolhida foi a pouco conhecida Janette Vollu, niteroiense de 21 anos, que estudava como normalista e trabalhava como corista em peças de teatro de revista de Carlos Machado. Branquela e de olhos azuis, ela no entanto foi aprovada para o papel, que exigia poucas falas e um maior apelo sensual. Ela viajou para Salvador e Ilhéus antes de assumir o papel.

A novela foi dirigida por Maurício Sherman, que hoje dirige o humorístico Zorra Total da Rede Globo. Teve no elenco atores como Paulo Autran, Renato Consorte, Átila Iório, Grande Otelo, Glauce Rocha, Jardel Filho, Sadi Cabral, Suely Franco e Íris Bruzzi. O próprio Maurício Sherman atuou como o personagem Bentinho.

Janette Vollu não era atriz destacada e sua personagem foi seu único papel para a televisão. Namorava um arquiteto, com quem se casaria pouco depois. Ciumento, ele não gostava de ver a esposa atuando na televisão. Neste sentido, podemos dizer que o marido de Juliana Paes, hoje em dia, está mais flexível.

A novela foi produzida pela TV Tupi do Rio de Janeiro, numa época em que a televisão iniciava suas redes através de linques de transmissão de sucessivas antenas situadas entre as várias afiliadas. Não havia a transmissão por satélite. A televisão começava a se popularizar, mas os aparelhos eram muito caros e ainda havia os televizinhos e as televisitas que iam assistir à televisão na casa de algum felizardo.

Janette Vollu faleceu aos 34 anos. A novela não deixou imagens, e mesmo os registros sobre a novela são muito recentes. Por conta de informações vagas e genéricas, o Internet Movie Database (IMDb), portal de cinema e televisão na Internet, creditou a novela a um ano antes, 1960. Eu mesmo resolvi solicitar a correção do crédito da data.

Comentários