Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2012

FLÁVIO CAVALCANTI CRITICA TV NORTE-AMERICANA EM 1961

Por Alexandre Figueiredo

Até parece uma crítica à televisão brasileira nos dias de hoje, descontados algumas diferenças de citações e contextos. Mas o apresentador e jornalista Flávio Cavalcanti, em 1961, havia escrito um texto sobre a TV dos EUA, tomada por uma mentalidade extremamente comercial.

Crítico exigente, Flávio Cavalcanti, falecido em 1986 após passar mal durante a apresentação de seu programa no SBT, era famoso também por suas críticas refinadas e polêmicas à música brasileira. Tornou-se célebre também pelo bordão "Um instante, maestro".

Segue aqui o comentário de Flávio, resultado de sua viagem aos EUA, publicado no jornal Correio da Manhã daquela época (março de 1961). Nota-se que as críticas a Elvis Presley se dão sobretudo aos filmes ingênuos estrelados pelo cantor. Os parágrafos foram separados por mim para facilitar a leitura:

FALHAS DA TV AMERICANA

Por Flávio Cavalcanti - 1961


(...) mas como eu ia dizendo, domingo último, há falhas na TV americana. Uma dela…

EX-TECLADISTA DO DEEP PURPLE, JON LORD MORRE AOS 71 ANOS

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Um dos músicos notáveis do rock clássico, o tecladista do Deep Purple, Jon Lord, que com a banda gravou, entre outros discos, o seminal Deep Purple In Rock (1970) e Machine Head (1971) (do clássico "Smoke On The Water"), faleceu aos 71 anos. Era um músico de formação clássica, e tocou também em outras bandas de rock ao longo de sua carreira.

Ex-tecladista do Deep Purple, Jon Lord morre aos 71 anos


Do Portal Terra


A informação foi confirmada pela produtora inglesa Guest Pr, que cuidava da carreira do músico. Além de compor muitos sucessos do Deep Purple, entre 1968 e 1976 e depois de 1984 a 2002, ele ainda fez parte do Whitesnake e também ficou conhecido por seu trabalho solo de música clássica. No comunicado, a empresa diz que o músico passa da "escuridão à luz".


Virtuoso e prolixo, Lord é conhecido por produzir ao lado de Ian Gillan (principal vocalista do Deep Purple) o lendário Concerto for Group and Orchestra, espetáculo de música clássica…

OS 50 ANOS DOS ROLLING STONES

Há cinquenta anos, os Rolling Stones fizeram sua primeira apresentação oficial, no Marquee Club de Londres, mostrando seu rhythm and blues branco, como era a forma de rock'n'roll adotada pelas bandas dos anos 60.

Pois, antes de 1962, as "pedras" já rolavam, e foi em 1960 quando, numa estação de trem da pequena cidade de Dartford, dois amigos de infância, Mick Jagger e Keith Richards, se reencontraram. Decidiram trocar discos de rock e blues e a trocar ideias sobre música.

Convidados, em 1962, por Brian Jones para montar uma banda, cujo nome, Rolling Stones, é baseado no título da canção de Muddy Waters, "Rolling Stone", decidiram acrescentar sua colaboração à riquíssima cena britânica dos anos 60, que mesmo antes do sucesso mundial dos Beatles já mostrava-se instigante e vibrante.

Na primeira apresentação, só constavam Jagger e Richards da atual formação. Mas ela já tinha o baixista Bill Wyman, hoje fora da banda. Charlie Watts só entrou no final de 1962. …

PERDEMOS O GRANDE ERNEST BORGNINE

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: O veterano ator norte-americano Ernest Borgnine faleceu aos 95 anos, ontem. E escolhemos o texto do crítico de cinema Rubens Ewald Filho que dá uma informação detalhada sobre a carreira desse notável ator.

Perdemos o grande Ernest Borgnine

Por Rubens Ewald Filho - Blog do Rubens Ewald Filho

Ernest Borgnine levou o prêmio do Sindicato dos Atores. Certamente foi um prêmio pela longevidade, já  que não é todo dia que aparece um ator de 93 anos ainda em plena atividade e vigor. Mas também é honra ao mérito de alguém que não tinha cara de astro, que aparentemente nasceu para ser coadjuvante e fazer papel de bandido, capanga mafioso ou brutamontes.

Grandão, com dente com falha no meio, voz de sapo, sempre simpático, Ernest Borgnine já passou para o terreno da lenda, quando superou seu tipo e seus limites ao ganhar o Oscar de melhor ator por Marty (idem, 55), versão para o cinema de uma telepeça de Paddy Chayesfky que havia sido feita na tela pequena por Rod Steiger.

Num …