MORRE EM SÃO PAULO, AOS 91 ANOS, O CANTOR SERTANEJO TINOCO



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Faleceu o remanescente da dupla Tonico e Tinoco, considerada um dos maiores referenciais da música caipira autêntica do século XX. Gênero considerado em extinção, tamanhas as diluições e deturpações, meramente comerciais e sem compromisso cultural - apesar de investidas tendenciosas nos "tributos" ao cancioneiro caipira dos atuais breganejos -  , a autêntica música de raiz é hoje incompreendida por muitos, na medida em que a percepção meramente urbanística, midiática e globalizada de muitas pessoas não consegue discernir o que era realmente a nossa música rural e as deturpações que nos últimos 35 anos surgiram sob o rótulo de "sertanejo".

Na década de 1960, a dupla Tonico e Tinoco produziu mais discos em sua carreira, com 83 discos gravados, entre álbuns e compactos.

Morre em São Paulo, aos 91 anos, o cantor sertanejo Tinoco


Do Portal Terra


O cantor sertanejo Tinoco, da dupla Tonico & Tinoco, morreu na madrugada desta sexta-feira, à 1h42, na cidade de São Paulo, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do município. José Peres, 91 anos, estava internado no Hospital Municipal Ignácio de Proença de Gouvêa, na Mooca, e morreu de insuficiência respiratória.


O velório está previsto para começar a partir das 10h no Cemitério da Quarta Parada, no Belém, na zona leste de São Paulo. O enterro está programado para às 17h no Cemitério da Vila Alpina, também na zona leste. O cantor tinha apresentação marcada para a Virada Cultural em São Paulo neste final de semana; a assessoria de imprensa do evento ainda não sabe se algum artista substituirá o cantor.


Carreira


Tinoco formou uma das duplas sertanejas mais famosas e respeitadas do País ao lado do irmão mais novo João Salvador Peres, o Tonico, ainda nos anos 30.


Com a paixão pela música herdada dos avós maternos, Olegário e Izabel, Tonico e Tinoco começaram a carreira em 1930, quando moravam em Botucatu, no interior de São Paulo. A primeira apresentação profissional aconteceu cinco anos mais tarde, junto com um primo, em show em uma quermesse local.
Em 1941 a família se mudou para a capital paulista e, devido às dificuldades financeiras, começaram a fazer apresentações aos finais de semana, ao lado de Raul Torres Florêncio, como o trio Os Três Batutas do Sertão.


Increveram-se em um programa de calouros na Rádio Emissora de Piratininga, chegando à final do concurso, quando foram aplaudidos de pé pelo público. Outros violeiros da competição também se emocionaram e cumprimentaram a dupla que já dava sinais de sucesso.


A partir daí começaram a colher os frutos e, no início da década de 50, já eram considerados um dos maiores nomes da música sertaneja no País. Nos anos 60, realizaram quase mil gravações, dividas em 83 álbuns. A dupla teve fim com a morte de Tonico, em 1994.

Comentários