MORRE CARMINHA MASCARENHAS, AVÓ DE MARIANA BELÉM



COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: No começo dos anos 60, Carminha Mascarenhas era uma das mais populares e prestigiadas cantoras do país e estrela do rádio. Ultimamente ela andava esquecida, neste país sem memória, mas quem pesquisasse as revistas e jornais da época saberia melhor quem foi Carminha, cujo nome de batismo era Carmina Alegretti.

Morre Carminha Mascarenhas, avó de Mariana Belém

Do Portal R7

Cantora estava morando no Retiro dos Artistas, onde será realizado o velório

Morreu nesta segunda-feira (16), aos 82 anos, Carminha Mascarenhas, mãe de Raul Mascarenhas e avó de Mariana Belém e Rafael Mascarenhas, filho de Cissa Guimarães morto em 2010 em um acidente no Rio de Janeiro.

A cantora estava morando há 1 ano e 8 meses no Retiro dos Artistas, no Rio de Janeiro, e foi internada no hospital Cardoso Fontes na última semana. Segundo o próprio Retiro, a morte ocorreu às 6 horas da manhã.

O velório será na capela do local ainda nesta segunda, e o sepultamento está marcado para terça (17), às 10 horas, no cemitério de Pechincha, em Jacarepaguá.

Ao R7, uma funcionária do Retiro informou que Carminha recebia com frequência a visita do filho Raul. O saxofonista, inclusive, já estava a caminho do Rio para participar do velório e enterro da mãe.

Mariana, que deu à luz Laura no final do ano, deixou uma mensagem de carinho em seu Twitter. Infelizmente, Carminha não chegou a conhecer a filha de Mariana. A cantora ainda fez referência ao irmão, Rafael Mascarenhas, morto em um acidente no Rio em 2010.

- Que os anjos recebam, ao lado do nosso anjo Rafa, a minha amada avó Carminha Mascarenhas no céu... Descansa, guerreira, a dor acabou. Te amo.

Fafá de Belém, mãe de Mariana, se solidarizou com a situação e também fez seu registro no microblog.

- Morre Carminha Mascarenhas. Grande expressão da Rádio Nacional, grande figura humana e avó de minha filha @MarianaBelem. A música está triste.

Julinho do Carmo, cabeleireiro e amigo de Carminha, lamentou a perda em conversa com o R7 e destacou a vontade da veterana em conhecer a pequena Laura.

- É uma perda grande também para a nossa cultura. O último desejo dela, que sabia que não ia ser comprida, era pegar a neta dela no colo. Era o último desejo dela. Ela até comprou presentes para a netinha e pediu para que eu os entregasse.

Segundo Julinho, Carminha tinha muita admiração pelo filho, e estava tranquila com as dificuldades.

- Há uns 10 dias, ela me disse que o clico da vida é esse mesmo: a gente nasce , a gente vive e a gente morre. Ela amava muito o filho dela, até o último dia. Era uma mulher sábia, era um gênio da sabedoria.

Carreira

A música entrou na vida de Carminha muito cedo. Quando começou a trabalhar como crooner em um grupo, ela conheceu o pianista Raul Mascarenhas. Da união, nasceu Raul Mascarenhas Jr.

Seu primeiro disco foi lançado em 1953, e dois anos depois, Carminha foi contratada pela Rádio Nacional.

A sua trajetória traz parcerias com grandes nomes da música brasileira. Em 1959, Carminha gravou seu primeiro LP solo que continha a faixa Eu Não Existo Sem Você, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

Comentários