JOSÉ SERRA NÃO É ESQUERDISTA FAZ MUITO TEMPO


JOSÉ SERRA em dois tempos: durante discurso na Central do Brasil (E), em 1964, e em foto como governador de São Paulo.

Recentemente, Lula disse que não havia direitista entre todos os pré-candidatos à presidência da República para a campanha de 2010. Inclusive o tucano José Serra, governador de São Paulo.

José Serra só foi esquerdista num passado já remoto. Era integrante da Ação Popular, grupo organizado por estudantes católicos que era radicalmente esquerdista. Ele era também filiado à União Nacional dos Estudantes (então sob forte influência da AP) e foi presidente da entidade entre 1963 e 1964. Fez discurso durante o comício do presidente João Goulart na Central do Brasil, no Rio de Janeiro, em 13 de março de 1964. Ficou exilado no Chile entre 1965 e 1973 (quando ocorreu o golpe militar do general Pinochet).

No exílio chileno, José Serra conviveu com Fernando Henrique Cardoso e César Maia, que, ironicamente, estão com o paulista nos quadros da direita brasileira, sendo Serra e FHC no PSDB e Maia no partido-irmão dos tucanos, o DEM (a antiga UDN repaginada).

A formação e profissão de economista e o contato com a intelectualidade neoliberal da USP influenciou a guinada ideológica de José Serra. A fundação do PSDB foi um meio de seus fundadores, antes ligados ao PMDB, criarem um novo partido, com ideologia baseada no capitalismo moderno, na tecnocracia e nos princípios do neoliberalismo.

Como se vê, as pessoas mudam, dependendo das circunstâncias.

Comentários