Pular para o conteúdo principal

Postagens

CASOS HARVEY WEINSTEIN E ROSEANNE BARR APONTAM FRAGILIDADE DA GERAÇÃO "W"

Postagens recentes

WALDIR PIRES MORRE AOS 91 ANOS EM SALVADOR

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Mais um dos personagens em evidência na virada dos anos 1950-1960 - depois de Agildo Ribeiro, Alberto Dines e Maria Ester Bueno - nos deixa. O político baiano Waldir Pires, ultimamente filiado ao Partido dos Trabalhadores, tendo sido, em 2006 e 2007, ministro da Defesa do governo Lula, faleceu aos 91 anos devido a grave pneumonia.

Ele foi více-líder do governo Juscelino Kubitschek na Câmara dos Deputados, foi Coordenador dos Cursos Jurídicos na Universidade de Brasília (1963) e foi Consultor-Geral da República do governo João Goulart no final de seu governo, e partiu para o exílio depois de ter o mandato de deputado federal cassado pelo regime militar instalado em 1964.

Era uma das figuras progressistas do cenário político baiano, e em sua carreira, passou por vários partidos políticos: o antigo PSD de Juscelino, Ulysses Guimarães, Tancredo Neves e Ernâni do Amaral Peixoto, o MDB, o PMDB e, finalmente, o PT.

Waldir Pires morre aos 91 anos em Salvador

Do Jornal …

PARCERIA QUE ORIGINOU A EDITORA ABRIL É DESFEITA APÓS 68 ANOS

EM JULHO DE 2015, A EDITORA ABRIL HOMENAGEOU A CAPA DA PRIMEIRA REVISTA DO PATO DONALD, LANÇADA 65 ANOS ANTES.

Por Alexandre Figueiredo

A Editora Abril, segundo rumores, está em decadência. A empresa, que demitiu milhares de funcionários, cancelou publicações e franquias - como a Playboy e a rede de TV por assinatura MTV, devolvida à Viacom (que criou outra MTV, do "zero", no Brasil, subordinada à matriz) - e vendeu subsidiárias educativas, anunciou seu corte pela raiz, cancelando a parceria com a Disney que deu origem à editora.

Segundo informações divulgadas pela Folha de São Paulo, a Abril, que admite viver um processo de reestruturação, se livrou até de seu edifício sede e extinguiu editorias, deixará de publicar as revistas da Disney este mês. A Abril cancelou até mesmo algumas edições comemorativas da Disney, que seriam lançadas este mês.

A "sangria pela raiz" se deve ao fato de que a Editora Abril se originou com a publicação do primeiro número da revista do…

MAIOR TENISTA DA HISTÓRIA DO BRASIL, MARIA ESTHER BUENO MORRE AOS 78 ANOS

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Contemporânea de esportistas como Pelé e Eder Jofre, a tenista paulistana Maria Esther Bueno foi um dos símbolos de uma época ímpar no Brasil, em que, diferente do colapso político e social de hoje, viveu um período de muitas conquistas e um potencial de grandeza que era incipiente, mas promissor o suficiente para alegrar os brasileiros de cerca de 60 anos atrás.

Uma das mais destacadas esportistas femininas do Brasil, Maria Esther se destacou num esporte pouco popular no Brasil, o tênis, e sua vitória em vários torneios, principalmente no começo da década de 1960, era ao lado da Bossa Nova, da arquitetura de Brasília, do Cinema Novo, do teatro engajado e do movimento estudantil (que lançava os Centros Populares de Cultura da UNE), símbolos de uma modernidade que, por breves anos, parecia ser eterna.

Maior tenista da história do Brasil, Maria Esther Bueno morre aos 78 anos

Do Globo Esporte

Ao longo de sua premiada carreira, Maria Esther Andion Bueno ficou conhec…

JORNALISTA AUDÁLIO DANTAS MORRE EM SÃO PAULO

COMENTÁRIO DESTE BLOGUE: Audálio Dantas foi um dos grandes profissionais do jornalismo, tendo lutado pelos direitos da categoria e também tendo se mobilizado em prol dos direitos humanos, até seus últimos anos.

Ele tornou-se mais famoso por ter conhecido a catadora de papéis Carolina Maria de Jesus, favelada que mantinha cadernos de anotações, nos quais ela escrevia poemas e também relatava seu cotidiano. Pegando um dos cadernos, em 1959, Audálio se ofereceu a datilografar os manuscritos do primeiro livro de Carolina, Quarto de Despejo, apenas fazendo correções gramaticais mas sempre mantendo o texto original, que é um dos testemunhos mais importantes da vida das favelas.

Audálio também foi um dos jornalistas que, à frente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, primeiro denunciaram o assassinato, nos porões do DOI-CODI, do colega Vladimir Herzog, ex-chefe de Jornalismo da TV Cultura de São Paulo. Herzog foi preso e torturado porque se recusou a fazer propaganda de um ato do gover…

GREVE DOS CAMINHONEIROS DÁ SINAL DE ALERTA PARA O BRASIL

Por Alexandre Figueiredo

O momento frágil em que vive o Brasil de 2016 para cá, causado por uma série de incidentes e episódios, vários deles bastante confusos, é, na verdade, uma repetição de perspectivas, embora com diferenças de contextos, que, sombrias, podem sugerir o risco de um novo golpe militar.

Oficialmente, o Governo Federal e as Forças Armadas desmentem a possibilidade de um novo golpe militar. O dia 29 de maio de 2018 foi uma data em que se discutiu muito os apelos de uma parte ultraconservadora da sociedade que pede "intervenção militar", embora haja também grupos minoritários que pedem não um golpe militar, mas uma intervenção provisória, feita nos limites da Constituição.

Só para entender a diferença entre golpe militar e intervenção militar, lembremos do "contragolpe" do general Henrique Teixeira Lott, em 11 de novembro de 1955. Com Juscelino Kubitschek eleito e tendo João Goulart como vice - também eleito em separado, como previa a Constituição d…

ALBERTO DINES, UM BATALHADOR DO JORNALISMO

Por Alexandre Figueiredo

Antigamente, o jornalismo brasileiro era uma grande aventura, no melhor sentido do termo. Numa época em que ainda não havia faculdades de Comunicação, ainda mais focalizadas no jornalismo, profissionais da imprensa tinham que fazer seu trabalho com intuição e competência.

Eles cobriam os fatos, interpretavam e analisavam a realidade, faziam perguntas a personalidades, pesquisavam escritos para reforçar informações ou para citar fatos e curiosidades dos mais diversos. Sem se preocupar com ideologia, mas procurando exercer uma postura a mais humanista possível, o jornalista da imprensa brasileira tornou-se uma figura mítica, que as gerações do passado exerceram com brilhantismo e com uma vida intensa nas redações.

Entre esses inúmeros profissionais que exerceram seu trabalho honesto, buscando a notícia e a informação de forma interessante, instigante, com um trabalho cheio de emoções, tensões mas também de situações engraçadas e muitos impasses contornados com …